Turismo Sustentável


Turismo Sustentável é uma maneira de viajar e descobrir um destino, onde respeitamos a cultura, meio ambiente e pessoas, preservando tradições locais e recursos naturais e dando protagonismo às comunidades residentes.

- Entenda: Uma viagem responsável ou sustentável é aquela que causa o mínimo impacto negativo e o máximo de impactos positivos aos destinos e comunidades que vamos. Ela respeita e preserva culturas, comunidades e o meio ambiente, gerando renda e trabalho justo.

- Repense o turismo voluntário: Em muitos lugares, esse volunturismo funciona como um paliativo para que o governo não enfrente os problemas daquela região, ou mesmo de empresas interessadas só em ganhos. Então se for para fazer trabalho voluntário, que seja com bom-senso e haja para tal, é simples perceber isso, mas não deixe de fazer, aliar a vontade de viajar com a vontade de ajudar o próximo é divino!

- Compre produtos locais e apoie comunidades: Ao comprar produtos e artesanatos feitos localmente, você estará apoiando diretamente aquela comunidade e incentivando que ela e sua cultura permaneçam ali por mais tempo. De uma simples lembrancinha local à uma agência de viagem que esteja usando, veja se fazem uso dos locais para isso. Uma coisa que deva ficar muito atento é quanto à pechinchar o preço, já estive em lugares que jamais pediria para fazer mais barato, visto que as necessidades locais já são precárias e muitos desses povos que vivem de turismo local são pobres e dependem muito de seu trabalho honesto. Fiquem atentos à isso!
Para que o turismo atinja sua capacidade de transformação social através da economia, é preciso que negócios locais sejam lucrativos, certo? Portanto, prefira restaurantes e hotéis gerenciados por pessoas nascidas na região. O mesmo vale para a hora de contratar um guia ou comprar artesanato. 

- Respeite a cultura: Hábitos e valores das pessoas podem ser diferentes dos seus. Já é um passo para uma consciência sustentável aceitar isso!
Estude muito antes de ir à uma região, língua, costumes, diferenças e vá aceitando isso. Aprender algumas palavras é essencial. Um exemplo disso é o que falam de alguns europeus, que são mau educados, não são simpático com os turistas, enfim, mas convenhamos: O turista desatendo quer chegar num local de região quaisquer (que não fala inglês/espanhol) e tacar um "Hi sir! Where can I find cheap hotel?" para um local que não está passeando. É meio óbvio que a pessoa do outro lado vai estranhar esse mau jeito arrogante de 'start' de conversa. Primeiro, cadê o bom dia, por favor, fala inglês?, etc, se a língua não é a mesma, saiba algumas frases na língua local para pelo menos chegar na pessoa educadamente e diga na língua dela: "Bom dia, você fala inglês/Espanhol?" "Por favor, poderia me dar uma informação?" "Obrigado", etc. 
Essa outra pessoa vai te olhar com outros olhos, porque viu que você é um estrangeiro e está tentando uma forma de se comunicar e tendo dificuldades, ela vai tentar te ajudar!
Deve-se ficar atento e respeitar o local, se não gosta, acha feio, não bate com sua religião, é desagradável, é só sair sem denegrir. Você não precisa concordar, mas deve respeitar!

- Preserve o meio ambiente: Tanto no seu dia a dia, quanto em uma viagem, procure por em prática esses ensinamentos:
  • Recolha sempre seu lixo, esteja você na beira da praia ou numa trilha;
  • Prefira ecobags e garrafas reutilizáveis para evitar o descarte de plástico;
  • Economize água: no banho, em lugares de deserto, num simples uso de cozinha, enfim;
  • Não deixe o ar-condicionado do quarto ligado sem motivo, ou mesmo luzes, tv;
  • Sirva-se apenas do necessário para evitar o desperdício de alimentos; essa parte eu não entendo nas pessoas! Comece a reparar nas áreas de alimentação de shoppings e afins, o tanto que as pessoas deixam sobrar restos de comida (na maioria que poderiam ser aproveitada por outras pessoas), sério! Desde geração de lixo desnecessário à privar outra pessoa de usar aquele resto de comida que ainda é consumível (não estou falando de lixo, nem de sobra com germes), tudo por uma questão cultural boba de que o outro não pode usar algo reaproveitável! E olha que nem toquei no assunto de pessoas passando fome pelo planeta!

- Transporte: Não se engane, o avião pode ser o meio de transporte mais prático, mas é também o que mais emite dióxido de carbono (CO2). A dica é viajar utilizando outros meios, como moto, ônibus ou trem, sempre que possível. E, no destino, caminhar ou andar de bicicleta.
Eu já disse em meus vídeos sobre um dos prazeres que me dá em viajar de moto pequena é a Sustentabilidade (além da economia e falta de dinheiro mesmo), por exemplo: Numa viagem de 10 mil km, Moto Pequena X Moto Grande, qual das 2 vai gastar mais combustível, poluir mais, usar mais óleo, gastar mais pneus (e em questão de quantidade para fabricar também), e tantas outros usos de peças à espaço físico (por mais que lhe pareça insignificante, mas faça a conta em um resultado com longo prazo e milhares de motos). Sem falar na economia! Tudo para (as vezes) alimentar um status. ESPERE! Não estou falando que é errado ter motos ou carros grandes para viajar, inclusive posso até ser um falso moralista aqui, pois já tive, e se tivesse grana eu também teria uma moto grande. Mas hoje tentaria compensar por outro lado, tem várias formas de se fazer isso, uma das principais seria a compra de crédito de carbono, poderia também investir em doações para projetos sustentáveis que hoje não contribuo por falta de financeiro, fiz um curso uma vez de "Direção Eficiente" ou "Direção Econômica", você não tem ideia do tanto que isso ajuda a economizar, não só em combustível, mas peças em geral.
Me lembro de uma vez quando era Embaixador Triumph, falo disso aqui, eles me deram uma Triumph 1200cc XCA para andar e foi um dos melhores momentos que já tive, também há como você ser sustentável na escolha de motos assim, porque essa por exemplo rodava 16 mil km com o mesmo óleo de motor, sim, está no manual e cheguei a rodar 15 mil km com ela sem trocar, é normal! Agora na Vstrom 650 que tinha, a troca de óleo era a cada 3 mil km, viu a diferença? (por outro lado o consumo de gasolina é alto nas duas né hehe). Viu onde quero chegar!? Mas espere não estou reclamando da VStrom, estamos no assunto sustentabilidade! Há muito o que se pensar em detalhes assim, comece por em prática! 
enfim, não vamos ser neuróticos também né, é usar um bom senso, porque senão teríamos que viajar só de bicicleta (o que seria mais lógico e correto hehe).


A responsabilidade de viajar pelo mundo de maneira sustentável é nossa. Não se trata apenas de nos divertirmos. A experiência de viajar também tem a ver com alcançar uma visão mais ampla do mundo e ir além do superficial. Daqui a vinte anos, ainda vamos querer que a experiência de viajar seja igual àquela que imaginamos hoje? Visitar lagos de águas cristalinas a grande altitude, caminhar por praias paradisíacas, conhecer outras culturas e estar sempre a aprender coisas novas. Se sim, teremos que começar a viajar de uma forma sustentável e responsável o mais depressa possível. A verdade é que não é assim tão difícil, basta dar o primeiro passo. 

Já visitei muitos lugares e países que depois fiquei a pensar em que eu acrescentei algo de bom ali, em que errei e que poderia ter evitado. 
Como visitar zoológicos, a tempos não visito mais, por mais que os animais estão bem tratados ali, que são protegidos por leis ambientais e tal, mas, será mesmo? 
O único lugar no mundo onde prisão só tem inocentes são os zoológicos!

Errei, não digo que não errarei mais, pois é um aprimoramento pessoal, não falso moralismo! Tentar por em prática, tentar se consertar a cada dia, é um dever nosso, pelo menos tentar!
Elefantes na Ásia, Camelos no deserto, ver Baleias e Golfinhos..., dá para fazer tudo isso sem ser em lugares que torturam esses animais só para satisfazer um turismo sanguinário, camuflado. Ao ar livre, solto na natureza, enfim, vi uma pessoa dizendo algo uma vez que achei legal: Quer saber se um animal faz parte de um turismo sanguinário? É só ir até ele e se alguém não permitir subir neles, é porque são mais livres, olhe os pés, orelha, cabeça, procure sinais de cicatrizes, correntes, etc. Aí sim, poderá tirar sua foto e com menos preocupação de estar fazendo algo errado, mesmo assim, lugar de bicho é no seu habitat! Turismo onde tem animais para carregar bagagens e pessoas, não lembro de já ter usado, mas a décadas não uso, ou se precisar seria em caso de risco de morte, são coisas diferentes. Por mais que isso seja um trabalho honesto de algum pai de família tentando sustentar sua família em lugares pobres, de minha parte eu evitarei o máximo possível, existe mil formas de se ganhar dinheiro honestamente (também) que não seja explorando e maltratando animais.


Mas é dever também nos vigiar em julgar os outros, pois já estive do outro lado. É como querer brigar com o outro que deixa aquele monte de restos de comida nas praças de alimentação que vai tudo para o lixo enquanto poderia ser reaproveitável, muitas das vezes fazem por desinformação; por isso defendo a tese "Freeganismo", hoje tento reaproveitar tudo.

Lembra do caso da garrafinha de água mineral que citei acima? Aquele turista que sai comprando garrafinha de água mineral 500 ml a cada esquina e logo após vai jogando no lixo. Não!!! 
Tente comprar 1 garrafa de 1lt e ir reaproveitando ela, em minhas viagens eu uso só 1 garrafa o tempo todo, esvaziou, encho no hotel ou algum lugar, a noite coloco no congelador do hostel e no próximo dia tenho agua gelada, enfim! Já imaginou quantas toneladas de garrafinhas plásticas você já jogou no ambiente que irão ficar aqui no planeta por mais 400 anos degradando? Suquinho, refrigerante, comidas, canudos, sacolinhas, etc. 
Tudo tem opções de não ser de plástico, os famosos biodegradáveis, ou na maioria das vezes não pego, dispenso, obrigado! Passo sede na rua, mas não bebo água em lugares que tem que pegar um copo descartável só para beber ali e jogar fora, não me custa nada esperar uns 15 minutos até chegar em casa! No nosso tema aqui em turismo sustentável seria a mesma coisa, essa geração de lixo desenfreada e deixamos nosso rastro pelo caminho de lixos que nem sempre serão reciclados. E assim vou 'tentando' não gerar lixo desnecessário, diminuir meu falso moralismo!
É triste você chegar em um paraíso e ver aquelas tantas garrafas, caixas de cigarro, pacotes de bolachas...Você quer mesmo fazer parte disso?


Tenho por mim, e isso é pessoal, inclusive de minha fé, uma frase que levo muito em consideração: Tudo que se planta, colhe. Toda ação gera uma reação. Toda causa tem um efeito. 
Mas o que isso tem a ver com o nosso tema aqui? 
Não é algo que gosto de explicar, porque fé, religião e crédulo cada um tem a sua e respeito isso, mas pessoalmente como já disse, acredito que essa ação e reação que falo relaciona com minhas ações diárias, de fazer o certo acreditando que eu possa colher no futuro, mesma forma se eu fizesse o contrário, se por onde eu passasse deixasse um rastro de destruição, um dia iria colher o resultado disso, pode ser que não seja nessa vida, ou mesmo nesse plano, mas a justiça divina nunca falha! 
É por isso que tento por em prática o melhor possível, se vou conseguir é outra coisa, mas tentar é um dever, sempre!

É um processo lento, mas tem resultados! 
Não tem como sermos 100%, o turismo sustentável tem ganhado força a cada dia, vamos dar continuidade nessa evolução! Faça sua parte!








COMPARTILHE!


.

 




Nenhum comentário:

Postar um comentário